Para encerrar mais um ano de muito trabalho e luta, a Cooperciges realizou um churrasco, que reuniu mais de 200 cooperados. Leia mais!

Ao som de muito chorinho e samba, a confraternização de Fim de Ano da Cooperciges foi um momento que alegrou a todos. Realizado no dia 03 de dezembro, das 11h às 16h, o churrasco reuniu mais de 200 pessoas no High Society, cerimonial localizado em Vitória. A festa também contou com muita animação, com jogo de futebol masculino e brincadeiras especialmente pensadas para as crianças presentes.

Para além disso, os cooperados puderam reforçar laços, rever pessoas queridas e conhecer novos colegas. Diandria Margotto Bertollo, cooperada do Hospital Estadual de Urgência e Emergência e do HPM Infantil, é uma das pessoas que pensa assim.

“Acho essa proposta de festa muito bacana, pois agrega a família e a faz interagir com todos. Tem pessoas que a gente não tem oportunidade de, no dia a dia, conviver socialmente, mas aqui há essa chance. Elogio muito a Cooperciges, os diretores, porque fizeram muito neste ano e batalharam bastante nesses dois anos para que nossa cooperativa crescesse, oferecendo serviço de qualidade para os hospitais públicos da Grande Vitória e do interior. Espero que continue assim e com festas maravilhosas”, diz.

Jailson Luiz Totola, cooperado pelo Hospital Infantil Nossa Senhora da Glória, também valoriza as festas que a cooperativa oferece. Segundo ele, momentos como esse proporcionam alegria, assim como a possibilidade de rever colegas de turma, pessoas com quem já trabalhou, alunos e ex-alunos.

“É um prazer participar. A cooperativa tem um potencial de trabalho muito importante para o cooperado, para o cirurgião no estado, e a gente entende que é o principal meio de trabalho de todos nós e ela tem primado por manter esses vínculos, essa condição para que as pessoas se manterem e terem onde trabalhar com dignidade. É isso que a Cooperciges vem fazendo e nós aprovamos”, pondera.

Prestes a completar 20 anos de atividade no hospital Dr. Roberto Arnizuat Tavares, em São Mateus, e cooperada desde o início da Cooperciges, Gilmaria Tavares não perde uma confraternização. “Entrei na cooperativa acreditando que ela tinha um propósito, a de resgatar a assistência da cirurgia no estado, e continuo acreditando. Dentro da cooperativa, onde comecei minha vida profissional na cirurgia, construí verdadeiras e boas amizades. Aqui eu encontro bons amigos, novos amigos e desconhecidos, de forma que para mim é um evento sempre especial no final do ano”, relata.

Por fim, ela ressalta sua confiança na Cooperciges, que, a seu ver, evoluiu muito e ainda mantém a essência que nasceu com a entidade, que é a de fazer a cirurgia no Espírito Santo crescer. “Eu fico muito feliz que pessoas que estão nessa luta desde o início continuam com o mesmo espírito e eu tenho certeza que cada vez mais vamos conseguir melhorar cada vez mais”, finaliza.